Filmes, Cultura

Dica de Filme: Documentário Amanda Knox

A produção de séries de TV ou documentários que revisitam crimes reais está em alta: depois de Making a Murderer e The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (que eu estou louca para assistir!), Amanda Knox estreiou no Netflix no último dia 30. Dirigido por Rod Blackhurst e Brian McGinn, o filme em formato de documentário traz material inédito sobre o caso famoso da jovem americana que foi acusada de assassinar sua colega de quarto durante um intercâmbio na Itália. Eu, que me interesso muito sobre essas histórias (vocês sabem!), acompanhei o caso e estava bem ansiosa para assistir.

amanda

Amanda Knox, da cidade de Seattle, era uma típica adolescente americana quando embarcou em um intercâmbio universitário na cidade pitoresca de Perugia, na Itália. Lá, começou a namorar o italiano Raffaele Sollecito e dividia a casa que morava com três garotas: duas italianas e Meredith Kercher, também intercambista da Inglaterra. Em novembro de 2007, Meredith foi encontrada morta e violentada em seu quarto, e Amanda e seu namorado se tornaram os principais suspeitos do assassinato. Durante seu julgamento na Itália, ela se tornou uma verdadeira obsessão da mídia – aquela famosa história da menina bela e psicopata que, apesar de alguns negarem, é objeto de extrema curiosidade e fascinação. Amanda foi presa e condenada a 26 anos de prisão, mas conseguiu contornar o veredito.

 

O documentário traz entrevistas com os envolvidos (o promotor italiano, o ex-namorado, o jornalista e a própria Amanda), materiais inéditos sobre a polêmica investigação do crime e também uma nova perspectiva sobre o caso. “Amanda Knox” é, a todo o tempo, imparcial, e deixa o seu telespectador se decidir: afinal, Amanda é ou não culpada? Como ela mesma diz, é uma psicopata em pele de cordeiro ou é você?

Eu acho que ela é inocente! E vocês? Me contem nos comentários!

Beijos,

Luisa

 

06 out 2016
Comente
Compartilhe

Comentários

    Aline Costa disse:

    Eu assisti esse documentário logo que lançou e também acredito que Amanda é inocente. Fiquei um pouco assustada em como as pessoas ficaram obsessivas em culpar Amanda, mesmo quando o caminho e as pistas levavam para outro culpado.
    Só Deus para saber o que aconteceu aquela noite naquela casa, a certeza que fica é de que a mídia transformou o caso em uma novela.

    Luciana Senna disse:

    Oi lu, então Eu morei na Italia bem na epoca Que o caso foi reaberto e realmente nao se falava em outra coisa. Sempre pensei que ela fosse culpada e Que houvesse manipulado o Sollecito. Os italianos são unanimes em dizer Que foi un grande erro ter permitido que ela voltasse para os Eua. Ainda nao parei para ver o documentario, estou bastante curiosa pois sendo uma obra americana tenho certeza Que manipularam a verdade a favor dela, pois os americanos costumam ter esse patriotismo por vezes ate doentio.

    Li disse:

    Eu acho que ela é culpada, são muitas contradições, ela mentiu muito, por mais que ela tente explicar o porque de ter mentido eu não consigo entender … também acho que ela foi favorecida pelos americanos a fim de dar um atestado de incompetência aos italianos. Dizer que eles se sentiam pequenos e queriam ficar bem vistos na investigação é um pouco idiota.. Além disso acho que os investigadores italianos não a culpariam por capricho, até porque só a ideia de estragar a vida de uma pessoa inocente por um crime que ela não cometeu, é no mínimo assustador.

Deixe uma resposta para Luciana Senna Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *