Moda

Inspiração: A Polêmica Pochete!

Oi! Lá vou eu com mais uma tendência polêmica – a última foi a bota branca, e agora é a pochete… parece que voltamos aos anos 80 em pleno 2017, né? Haha! A pochete foi um hit na época e não dá para negar que é um acessório super funcional e prático, mas se é bonita? Aí que entra a discussão!

Vale lembrar que não estou falando das temidas versões em náilon, mais ligadas à prática de esportes: marcas como Empório Armani, Stella McCartney, N. 21 e Marni apresentaram as versões “pochetes chiques”, em couro, combinadas com roupas de alfaiataria, seda e até vestidos de renda.

Elas retornaram já há alguns anos, mas acho que 2017 foi realmente a volta oficial da peça! E olha que as pochetes foram mesmo da passarela para a vida real – Bruna Marquezine, Thaila Ayala, Thássia Naves e as ditadoras oficiais de tendências polêmicas Rihanna e Kendall Jenner estão super usando!

Quem aí lembra que eu também aderi à pochete? Foi na Semana de Moda de Paris em 2015 (como o tempo passa!) – eu usei uma pochete de couro da Cris Barros e eu amo esse look até hoje! Uma sugestão é escolher uma versão mais discreta, com a mesma cor da sua peça de baixo. Dá também pra pegar a dica da Kendall Jenner e apostar em uma pochete com estilo vintage e combinar com calça jeans e um sweater! Equilibra o visual e fica bem cool, né? Alguém arrisca?

Beijos,

Luisa

14 jul 2017
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Moda

Tendência de Inverno: Grandma Style no iLove!

Oi, gente! Eu adoro que o iLove, e-commerce que reúne todas as melhores marcas, sempre faz curadorias especiais – os moods – com as principais tendências do momento. Tem um estilo que eu estou amando e que está super em alta neste inverno: o Grandma Style, ou seja, estilo da vovó!

O centro da nova cara da Gucci, desde que Alessandro Michele assumiu o posto de diretor criativo, é justamente o icônico estilo da vovó – revisitado de uma maneira super atual. A marca, inclusive, elegeu a atriz Vanessa Redgrave (maravilhosa!) como o símbolo da campanha Cruise 2017 da marca. É gente, nossas vovós sempre foram muito cool!

E como usar a tendência na vida real? Invista em tricots, cardigans, blusas de lã e, principalmente, estampas e cartela de cores com carinha vintage. Tudo super cara de inverno! Confiram várias inspirações com peças disponíveis no iLove:

Blusa Reinaldo Lourenço | Calça Slim Andrea Marques | Brinco Rincawesky

Macacão Bitzer Matt Framed | Bolsa Verniz Arezzo | Bracelete Candy Lool

Vestido Seda Lenny Niemeyer | Carteira Monograma Nude Arezzo | Sapatilha AMARO

Gostaram? O que vocês acham dessa tendência?

Beijos,

Luisa

10 jul 2017
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!

Viagens, Lifestyle

Dicas de Restaurantes em Bangkok

Já falei várias vezes aqui no blog que, desde que fui à Ásia pela primeira vez, me apaixonei pela culinária de lá – e não gente, eles não comem só bichos e insetos! A culinária da Tailândia é famosa, cheia de temperos interessantes, ingredientes fresquíssimos e, por Bangkok (a capital) ser uma cidade multicultural, possui muitas influências externas também. Fiz refeições inesquecíveis por lá! Acho que uma das melhores maneiras de se conhecer uma cultura local é mergulhar na comida, seja na de rua ou jantando em um dos tops restaurantes do mundo!

Comida de Rua – Historic Center tour, da Bangkok Food Tours

Quem for para a Ásia não pode perder a comida de rua de lá, que é incrível. Sem preconceitos, gente! Todas as vezes que fui para lá fiz os famosos food tours, que param em vários restaurantes e barraquinhas de rua – é tudo muito simples, e os sabores são deliciosos. Em Bangkok, fizemos o Historic Center tour com a Bangkok Food Tours e valeu super a pena: além das pausas para a comida (óbvio!), conhecemos alguns lugares históricos da cidade. O passeio dura 4 horas, custa em torno de 30 dólares e inclui guia e todas as refeições. Ah, fiquem tranquilos, porque não tem nada de muito estranho!

Gaggan

O Gaggan, de chef do mesmo nome, é considerado o melhor restaurante da Ásia e o sétimo melhor restaurante do mundo pela World’s 50 Best. Fui lá com uma super expectativa e conseguiu ser ainda melhor do que eu imaginava! A culinária é indiana progressiva (o chef é indiano) com várias influências de outros países asiáticos e oferece uma verdadeira experiência gastronômica: o menú degustação tem 20 pratos (pequenos) com sabores e apresentações inusitadas e surpreendentes. Os amantes da culinária não podem perder! O menú custa em torno de 150 dólares (sem bebidas) e a reserva tem que ser feita com antecedência.

Issaya Siamese Club

O chef do Issaya Siamese Club, Thai Ian Kittichai, é famoso (tipo uma celebridade local mesmo!) e o restaurante serve comida clássica tailandesa com um twist moderno. Foi uma das minhas refeições preferidas da viagem! O ambiente também é um show a parte: fica em uma casa antiga, com vários cômodos e um jardim enorme. Cada prato custa, em média, 20 dólares.

Beijos,

Luisa

04 jul 2017
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Viagens

Hotel em Bangkok, Tailândia: SO Sofitel Bangkok

Das viagens que eu fiz esse ano, acho que o lugar mais memorável que eu visitei foi Bangkok, capital da Tailândia. É uma cidade multicultural, vibrante e com uma culinária incrível – enfim, cheia de vida. Me hospedei no hotel SO Sofitel Bangkok e com certeza minha experiência lá contribuiu para eu amar mais ainda a cidade! É um hotel moderno, urbano e luxuoso na medida certa, com um atendimento impecável.

Isso que eu chamo de #roomwithaview <3

A rede Sofitel é francesa, e o SO Sofitel de Bangkok realmente une o luxo francês e a hospitalidade  tailandesa – sério, nunca conheci pessoas tão solícitas e educadas como na Ásia. O hotel foi todo inspirado em 5 elementos, e cada quarto tem uma decoração diferente: ou representa água, terra, metal ou madeira. O meu quarto era metal, todo branco e clean (amo!), que simboliza pureza e modernidade. Cada elemento tem suas próprias características (a madeira, por exemplo, é a elegância e tranquilidade) – muito legal que dá para escolher em qual você quer ficar!

Os restaurantes do SO Sofitel refletem o elemento fogo que, segundo a explicação, dá uma sensação de calor, energia e representa a interação social nos ambientes. Um ponto que me conquistou muito foi o café da manhã, simplesmente um dos melhores da minha vida. Ele era todo dividido em estações – uma da culinária asiática, outra com opções fit, pães… um verdadeiro banquete! Pra completar, o restaurante tem uma vista maravilhosa E fica aberto o dia todo 🙂

Panquecas para o meu café da manhã e uma estação de sorvetes caseiros que era incrível!

A localização do hotel é perfeita, bem no centro da cidade e em frente ao maior parque da cidade, o Lumpini Park. Por causa disso, a vista é de cair o queixo: o contraste entre a modernidade dos prédios e o verde do parque é mais fotogênica impossível! Ah, o SO Sofitel também conta com um SPA, o SoSpa, que eu aproveitei para fazer uma massagem que só os asiáticos sabem fazer, né?

Preço médio da diária: a partir de 250 dólares. 

Espero que eu tenha influenciado algumas pessoas a conhecerem Bangkok, realmente vale muito a pena!

Beijos,

Luisa

22 jun 2017
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!