Viagens, Lifestyle

Dicas de Restaurantes em Budapeste

Já falei para vocês que me apaixonei por Praga (já viram o post de Dicas de Restaurantes em Praga e 72 horas em Praga?), e foi a mesma coisa com Budapeste! Tudo da capital da Hungria é santuoso: sua arquitetura, suas avenidas, o Rio Danúbio, suas pontes… é uma cidade cheia de vida e com muito verde! Também adorei a culinária do país: tem algumas coisas em comum com a República Tcheca, mas também muitos pratos e ingredientes típicos e restaurantes incríveis!

Bock Bisztró

O Bock Bisztró fica bem no centro da cidade, em uma de suas avenidas mais conhecidas, e é um lugar perfeito para experimentar os pratos típicos da Hungria. Também achei legal que eles emprestaram o estilo espanhol dos tapas: dá para pedir várias entradas e compartilhar, sabem? Amei o steak tartare (eles comem muito na Hungria, assim como na República Tcheca – mas o tempero é diferente, vale a pena experimentar!) e uma espécie de panqueca com molho de páprika (eles usam muito esse tempero por lá). De prato principal, vale a pena experimentar o schnitzel, nada mais nada menos que carne de porco à milanesa – se preparem, é tamanho família!

August Cukrászda

Conhecemos esse lugar com o food tour, e juro que lá comi um dos melhores doces da minha vida! Essa doceria (tem 3 pela cidade), que existe desde 1870, é super tradicional e mesmo assim não é tão conhecida por turistas. Os húngaros comem doces no café da manhã, mas também é um lugar perfeito para tomar um café no final da tarde – acompanhado de um bolo, é claro – o difícil vai ser escolher, haha! Meu preferido foi a Flódni, uma torta típica judaica com 3 camadas de recheio: maçã, nozes e semente de papoula.

Costes Downtown

Tínhamos ouvido falar muito desse restaurante, que tem uma estrela Michelin – apesar disso, achei o preço muito justo (comparado com outros restaurantes estrelados em outras capitais da Europa). Para quem puder ir, vale muito a pena! Escolhemos o menú degustação com 4 pratos – dava para escolher entre as opções do cardápio – e todos estavam incríveis, super bem elaborados e com apresentação impecável. O cardápio muda de acordo com a estação e a disponibilidade dos ingredientes, mas meus pratos preferidos foram as vieiras de entrada e o pato de prato principal!

Kollázs

O Kollázs fica localizado no interior do histórico palácio Gresham, onde funciona o hotel Four Seasons Budapest – um dos hotéis mais lindos que eu já me hospedei na vida! O ambiente do restaurante é super aconchegante e eles oferecem pratos da culinária internacional e também pratos típicos húngaros – ou seja, tem opções para todos os gostos! Pedi um escalope e estava sensacional. Também recomendo passar a tarde por lá para um café ou drinks no bar no final da tarde e aproveitar para conhecer um pouco do Four Seasons para quem não for se hospedar lá!

Rosenstein Vandégló

Tinha ouvido falar muito bem desse restaurante judaico (a Hungria tem uma enorme comunidade judaica, por isso a influência da culinária) e realmente não decepcionou. Foi um dos meus preferidos da viagem! O ambiente é mais tradicional, bem simples e fica em um bairro mais afastado do centro de Budapeste – parece casa de avó, sabem? O menu é extenso e inclui especialidades da cozinha húngara e judaica, além de uma rica seleção de vinhos locais. Destaque para a sopa de bolas de matzá (um dos pratos judaicos mais tradicionais), o vitelo ao molho de páprica e o fois gras (eles comem muito em Budapeste!) com molho de Tokaji, um dos vinhos húngaros mais famosos.

Borkonyha Wine Kitchen

Assim como o Costes, o Borkonyha é um dos restaurantes mais consagrados de Budapeste – e, felizmente, com preço justo também! A culinária é húngara moderna e, apesar de o cardápio não ser muito extenso, oferece opções para todos os gostos. Minha recomendação, de olhos fechados, é o porco – mais especificamente, o porco da raça húngara mangalitsa, o melhor que eu já comi na vida! E olhem que porco é de longe minha carne preferida, mas esse vale muito a pena. Quem não gosta, pode pedir sem medo porque o restaurante é realmente incrível!

Dica: as sobremesas húngaras são ótimas, e não deixem de pedir o doce acompanhado de uma taça de Tokaji, um vinho de sobremesa da Hungria mundialmente famoso. Não entendo nada de vinhos, mas realmente combina muito!

Beijos,

Luisa

29 nov 2017
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Viagens, Lifestyle

Dicas de Restaurantes em Marrakech

A culinária é muito importante na cultura marroquina, então não é a toa que tem muitos restaurantes incríveis em Marrakech. Como ficamos poucos dias, não conseguimos conhecer todas que queríamos, mas esses foram os restaurantes que fomos:

dar

Dar Yacout: Jantar nesse restaurante foi uma experiência inesquecível. Considerado o restaurante mais famoso de Marrakech, fica localizado em um palácio do século XIX, dentro da medina, em uma rua bem escondida – quando você chega, dá até um medinho, pois a rua é bem escura e não tem nem nome na porta, mas ao entrar você encontra um local enorme e mágico! Esperamos pela nossa mesa no segundo andar, que tem um bar, música típica ao vivo e uma vista surreal de toda a cidade. Eu estava viajando com uma amiga, mas achei o lugar mega romântico. O jantar é servido no andar de baixo, à beira de uma piscina. O menu é fixo, com todas as comidas marroquinas mais típicas – se preparem para comer muito!

img_1306 img_1270

Le Jardin: Do mesmo dono do famoso Café dês Épices, é o restaurante perfeito para almoçar enquanto explora a caótica Medina. Como o próprio nome diz, o restaurante parece um jardim: cheio de plantas, calmo, muito gostoso para relaxar. A comida é feita com alimentos frescos de produção local e o cardápio tem saladas, “espetinhos” e pratos típicos marroquinos. É um dos poucos restaurantes da Medina que serve bebidas alcoólicas. Ah, e tem uma loja incrível no segundo andar!

Processed with VSCO with a9 preset Processed with VSCO with hb2 preset

La Mamounia: Todas as pessoas que conversamos nos disseram que o brunch no famoso hotel na Mamounia era imperdível! Então eu e a Deborah reservamos uma mesa com antecedência mas tivemos uma decepção: eles cancelaram o brunch naquele dia (por falta de clientes, acredito!), mas só nos avisaram quando chegamos. Acabamos almoçando no hotel mesmo, ao lado da piscina, mas o restaurante decepcionou: era um buffet sem graça e super caro, ficamos super chateadas pois a expectativa era alta. De todo jeito, o hotel é maravilhoso, praticamente uma atração turística, então a visita valeu: tiramos fotos incríveis!

Processed with VSCO with a6 preset

Kosybar: Também bem localizado no centro da Medina, é um lugar incrível para drinks (eles servem bebidas alcoólicas aqui) e para ver o pôr do sol. O ambiente é descontraído, um misto de moderno e decoração marroquina típica, e tem vários andares – mas o mais bacana é o terraço, que tem uma vista panorâmica da Medina. Eles servem saldas, sanduíches, e pratos marroquinos tradicionais.

Processed with VSCO with a9 preset
img_1978

Riad El Fenn: Esse Riad (construção típica marroquina) é um dos hotéis mais bacanas da cidade: super cool, exclusivo, perfeito se você está viajando a dois e quer uma experiência única – ele é como um oásis bem no centro da Medina. Mesmo se você não estiver hospedada no hotel, vale a visita: o restaurante no último andar não tem a melhor comida do mundo, mas tem uma vista incrível da Medina e ambiente super gostoso.

solano-restaurant

Solano: Acho a culinária marroquina maravilhosa – mas é uma comida pesada e, depois de uns dias comendo tajines e cous cous, confesso que estava louca por aquele “confort food”, sabe? O restaurante italiano do hotel Four Seasons foi a saída perfeita, confesso que não estava esperando muita coisa – comida italiana no Marrocos, oi!? – e me surpreendi demais, positivamente! O meu Spaguetti Cacio e Peppe estava divino, me senti na Itália.

 

06 dez 2016
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!