Viagens, Lifestyle

Roteiro: 72 horas em Praga

Como eu já disse no meu post com dicas de restaurantes de Praga, eu fiquei completamente encantada pela cidade. Praga é única e mágica – sua arquitetura gótica, seus parques, pontes pitorescas, comida deliciosa, os tijolinhos vermelhos… quem ainda não foi e tiver a oportunidade, vá conhecer!

Eu fiquei 4 noites em Praga (foram 3 dias inteiros) e acho que deu pra conhecer a cidade super bem! O serviço de transporte público é ótimo e o Uber também funciona por lá, mas o centro é bem pequeno e o legal é bater perna mesmo para conhecer melhor a cidade. Apesar de fazer parte da União Europeia, a República Tcheca utiliza as coroas tchecas como a sua moeda – recomendo levar euros e trocar por lá mesmo (no aeroporto tem várias casas de câmbio).

  • Dia 01

Restaurante Eska, uma das paradas do food tour que vale a visita!

 

Food Tour

Sempre quando viajo para um país não muito conhecido, gosto de fazer um food tour no primeiro dia! Acho que conhecer as comidas típicas de um país, junto com um local, são uma ótima (e deliciosa) maneira de se aprofundar mais na cultura do lugar. Em Praga, nós fizemos o food tour Taste of Prague (escolhemos o Prague Foodie Tour) e foi incrível! Nossa guia, Karolina, foi sensacional e nos levou a vários restaurantes incríveis, nos explicou mais sobre a história e costumes tchecos… recomendo de olhos fechados! Ele é quase todo feito a pé – o legal é que dá pra ir conhecendo a cidade também – e dura aproximadamente 4 horas. O custo é de 2,700 CZK (aproximadamente 105 euros).

Monumento Nacional em Vítkov

O Monumento Nacional fica em uma colina chamada Vítkov – tem uma boa subida, mas a vista lá de cima, que dá para toda a cidade, vale a pena! O monumento foi construído em homenagem ao comandante da Guerra Civil da Boêmia Jan Zizka, mas teve seu propósito desviado quando os comunistas tomaram o poder. Hoje, o lugar é considerado uma homenagem à história da República Tcheca. Eu não entrei no memorial, mas para quem se interessar, os horários estão disponíveis aqui. Vale a pena dar uma volta pelos arredores – o  Zizkov é considerado o bairro boêmio da cidade e foi revitalizado há pouco tempo.

Na Prikope

Localizada na cidade nova, a Na Prikope é a principal rua de comércio da cidade. É bem cheia de turistas, mas tem que visitar, né? A rua dá na Praça Venceslau, o centro mais frequentado e movimentado da cidade. Termine o dia com um jantar no Café Savoy – como você come muito no food tour, esse restaurante super tradicional tem opções mais leves e deliciosas, como steak tartare e sopas! Ah, e sobremesas deliciosas também, porque ninguém é de ferro!

  • Dia 02

Eu e Mamy, e a Ponte Carlos de fundo!

 

Castelo de Praga

Comece a manhã do segundo dia conhecendo o Castelo de Praga, que não é bem um castelo, e sim um verdadeiro complexo com palácios, igrejas e museus. Nós seguimos o conselho da concierge do Four Seasons Prague e pegamos a fila que fica atrás do castelo, que é bem menor #ficaadica! Nós compramos o ingresso com o circuito B, que custou 250 CZK (aproximadamente 9,80 euros) e inclui visitas a Catedral de São Vito, Palácio Real, Basílica de São Jorge, e Golden Lane (o site tem várias informações).

Malá Strana

O passeio ao castelo dura uma manhã inteira, e eu super recomendo uma visita ao bairro Malá Strana depois, que fica pelos arredores e é um dos mais charmosos e antigos de Praga. Dá para almoçar por ali mesmo, no Lokal, que imita os restaurantes da era comunista. Não deixem de visitar as várias lojinhas que tem por ali – eu adorei visitar a Cihelna, loja conceito que só vende trabalhos de designers tchecos.

 

Ponte Carlos

A Ponte Carlos, a mais antiga de Praga e o símbolo da capital, atravessa o Rio Vltava da Cidade Velha até a Cidade Pequena. A vista dali é incrível e rende várias fotos – se conseguir driblar o mar de turistas, haha! A ponta foi construída no estilo gótico e está decorada com 30 estátuas em ambos os lados, que representam santos e patronos da época. Finalize o dia no bairro Zizkov, jantando no restaurante Eska, um dos meus preferidos! É um pouco longe do centro, mas dá para chegar lá de Uber.

 

  • Dia 03

A “Pequena Veneza” de Praga

 

Praça da Cidade Velha

É o coração da Cidade Velha, lotada de atrações turísticas. A rua Celetná tem vários prédios históricos; a Casa Municipal é a construção mais importante do estilo Art Nouveau; e a Igreja de São Nicolas também vale a visita. E claro, não deixe de ver a Old Town Hall Tower, com seu relógio astronômico.

Bairro Judeu

Para o almoço, recomendo o Café Imperial ou o Next Door by Imperial – os dois restaurantes ficam em frente ao outro e são do mesmo chef, o mais famoso do país. Depois, não deixe de dar uma volta no Bairro Judeu, que fica nos arredores e é bem bonito! Se tiver tempo, visitem as sinagogas, que são bem famosas.

Pequena Veneza/John Lennon Wall/Parque Kampa

As ramificações do Rio Vltava deram origem a “Pequena Veneza” de Praga, uma região da cidade com os canais. Os arredores são bem calmos e com bem menos turistas que outras partes do centro! De lá, vale a pena conhecer a John Lennon Wall, que tem uma história bem interessante (na época do comunismo, os jovens picharam a parede com frases do John Lennon, que permanece lá até hoje) e o Parque Kampa, bastante frequentado pelos locais. Antes, confira as atrações do Museu Kampa, que fica dentro do parque – visitamos a exposição do Manolo Blahnik e valeu super a pena!

Ponte Carlos a noite

Praga é ainda mais bonita durante a noite. A sensação de andar na Ponte Carlos ao anoitecer é indescritível! Encerre sua estadia em uma das cidades mais bonitas do mundo no restaurante Cottocrudo, que fica no hotel Four Seasons Prague, onde me hospedei. Me apaixonei pela culinária tcheca, mas confesso que senti falta de um italiano no último dia, haha!

 

Gostaram das dicas? O que vocês acharam desse tipo de post?

Beijos,

Luisa

06 nov 2017
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Viagens, Lifestyle

Dicas de Restaurantes em Praga

Ainda estou em Portugal, mas há alguns dias atrás começava uma viagem incrível que fiz com a minha mãe e a minha irmã! Nosso primeiro destino foi Praga, capital da República Tcheca, que fica no leste europeu. A cidade já está na minha lista de lugares para voltar: Praga é linda (parece de brinquedo), super bem cuidada, com pessoas educadas, preços justos (é mais barata se comparada com outras capitais da Europa), arquitetura de cair o queixo, história muito interessante e culinária maravilhosa! Tenho várias dicas para compartilhar com vocês e vou começar pelos restaurantes:

Lokal

Na época em que a República Tcheca (na época, Tchecoslováquia) era um país comunista, todos os restaurantes eram iguais e deveriam servir a mesma comida. O Lokal, bem conhecido na capital (tem 3 pela cidade, se não me engano) imita os restaurantes dessa era, tanto na decoração quanto no cardápio! O menú é lotado de pratos típicos tchecos – desde a sopa de repolho (sei que parece ruim, mas é incrível!), o schnitzel (carne de porco frita na manteiga), queijo empanado com molho tártaro e, claro, a cerveja! A cerveja do Lokal é famosa e produzida de forma super artesanal.

Next Door by Imperial

Um dos meus restaurantes preferidos da viagem, o Next Door by Imperial, do chef tcheco Zdenek Pohlreich (ele é tipo uma celebridade por lá!) é descrito como um “moderno bistrô tcheco” e serve clássicos da culinária local. Eu pedi um braised beef (carne cozinhada lentamente) com molho de cranberry – maravilhoso – mas o destaque é o pato servido com dumpling de batatas, que minha mãe e minha irmã pediram! O chef também tem outro restaurante que vale a visita, o Café Imperial, que fica do outro lado da rua – o ambiente dos dois lugares é incrível, são prédios super antigos! Preço médio: cerca de

Eska

Nós amamos tanto esse lugar que fomos no Food Tour (vou fazer outro post contando tudo pra vocês!) que fomos jantar lá outro dia! O Eska fica em um bairro considerado hipster de Praga, um pouco afastado do centro e tem um estilo industrial, bem moderno e clean. A filosofia do restaurante é combinar o antigo com o novo: utilizar os ingredientes clássicos da culinária tcheca, com seus velhos métodos, e apresentar tudo isso de forma moderna. Vamos para os destaques: a entrada de pimentão recheado e, para os pratos principais, um tipo de “risoto” com grão fermentado de trigo e cogumelos e a batata assada no carvão. O menú muda sempre, de acordo com a disponibilidade dos ingredientes!

Cottocrudo

Nossa guia do food tour nos explicou que, depois da era do comunismo, a população queria comer tudo menos comida tcheca – o que explica os vários restaurantes italianos da cidade. O Cottocrudo, que fica no hotel Four Seasons Prague (que nós nos hospedamos) tem um ambiente incrível e oferece um cardápio tradicionalmente italiano com um toque moderno. Amei as entradas “crudas” (cruas) – pedimos um carpaccio de peixe que estava divino – e, de prato principal, o filet com fois gras (eles comem muito por lá), ravioli e alcachofra… me deu fome!

Café Savoy

O Café Savoy é um restaurante e padaria, ou seja, dá para almoçar, jantar ou ir até lá para comer um docinho e tomar um café no meio da tarde! É um dos cafés mais antigos de Praga (o teto de cair o queixo, no estilo neoclássico, foi construído em 1893) e oferece uma variedade de pratos tchecos com influência francesa. Quando fomos jantar, escolhi o beef tartare – não sabia, mas é um prato bem típico da República Tcheca – e, de sobremesa, comi um doce típico tcheco, vetrník, que é maravilhoso. Ah, o Apfel Strudel de lá foi o melhor que eu já comi na vida, então quem for tem que pedir!

Gostaram das dicas?

Beijos,

Luisa

26 out 2017
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!

Viagens, Livros, Lifestyle, Cultura

Livrarias incríveis ao redor do mundo

Apesar de eu ter me rendido à tecnologia do Século XXI e agora tenho um Kindle, continuo completamente apaixonada por livrarias – minha família até tira sarro de mim quando estamos viajando ou aqui em Londrina mesmo (amo a Livraria da Vila <3), porque não resisto em passar perto de uma e não dar uma entradinha, haha! Quem aí também é assim?

Existem várias livrarias incríveis ao redor do mundo que são verdadeiros pontos turísticos e super valem a visita para quem estiver de passagem pelo lugar! Dei uma pesquisada e elegi minhas preferidas:

El Ateneo, Buenos Aires – Argentina

Passagem obrigatória para quem estiver em Buenos Aires, a livraria El Ateneo Gran Splendid, construida em 1919, já foi um teatro (palco de shows históricos de tango) e um cinema. Hoje, conserva quase todas suas características originais e o palco foi transformado em um café.

Livraria Lello, Porto – Portugal

Esta livraria, aberta em 1906 pelos Irmãos Lello, é considerada uma das mais famosas e bonitas do mundo. Sua arquitetura neo-gótica opulenta e rica em detalhes realmente é impressionante! Ah, uma curiosidade: J.K. Rowling, autora de Harry Potter, já morou no Porto e se inspirou na Livraria Lello para criar, entre outros cenários do mundo do bruxo, as escadas de Hogwarts – demais, né?

Libreria El Pendulo, Cidade do México – México

Comprar livros é apenas uma das várias atividades que você pode fazer na Libreria El Pendulo, que tem um conceito de “Cafebrería”: lá, acontecem shows de música ao vivo e de stand-up comedy, leituras de poesia e dá até para beber bons drinks no café!

Shakespeare and Co, Paris – França

Escritores icônicos como Ernest Hemingway já passaram seus dias nessa livraria, aberta em 1951 por George Whitman, especializada em literatura inglesa. Com vista para o Rio Sena, é bem ao estilo francês – charmosa, corredores estreitos, bagunça organizada – e apareceu no filme do Woody Allen, “Meia Noite em Paris”.

Daikanyama T-Side, Tóquio – Japão

Projetada pelo famoso escritório de arquitetura Klein Dytham Architecture (que inclusive ganhou prêmios pelo design), a livraria ultra moderna e uma das mais conhecidas de Tóquio é composta por um complexo de três prédios – tem um café (Starbucks!) e até um lounge bar que fica aberto até às 2 da manhã.

Librairie Avant-Garde, Nanjing – China

Considerada a livraria mais bonita da China – com nenhuma arquitetura extravagante – o lugar já foi um abrigo anti bomba, um estacionamento do governo e uma igreja. Segundo Zhang Xing, o gerente da loja, a leitura na Avant-Garde é uma religião e, sobre transformar um velho estacionamento em uma livraria, disse: “Existe um velho ditado chinês – transforme algo apodrecido em um milagre”.

Boekhandel Dominicanen, Maastricht – Holanda

Essa livraria é, na verdade, uma igreja gótica do Século 13 que foi confiscada em 1794 pelos soldados de Napoleão para propósitos militares e, desde então, serviu para guardar arquivos, tornou-se um armazém e até um local para guardar bicicletas – muito holandês isso – até que, em 2006, um grupo decidiu transformá-la em uma das livrarias mais incríveis do mundo.

Bart’s Books, Ojai, California – EUA

 

Uma livraria a céu aberto, bem ao estilo californiano! Fundada por Richard Bartinsdale em 1964, é um lugar sereno com o propósito de fazer o leitor pegar um livro, sentar no sol e passar o tempo – tem até um lugar próprio para o leitor colocar as moedas quando quer pegar um livro e a loja está fechada!

Libreria Acqua Alta, Veneza – Italia

Luigi Frizzo, dono e criador da Acqua Alta, abriu esse lugar encantador há mais de 10 anos atrás – que, como tudo em Veneza, deve se chegar de gôndola! O ambiente da cidade mais os livros todos coloridos fazem com que a livraria pareça saída de um livro de conto de fadas…

Livraria da Vila, São Paulo (Alameda Lorena, 1731)

A Livraria da Vila na Alameda Lorena, em São Paulo, tem um lugar especial no meu coração! Já passei tantas horas lá que nem sei… haha! Quem não conhece, tem que conhecer: o lugar, antes uma casa, foi inteiramente reformado pelo arquiteto Isay Seinfeld e tem três andares (com a seleção de livros mais incrível do mundo), inclusive um porão que foi transformado em um espaço exclusivo para crianças.

Precisamos de cada vez mais livrarias no mundo!

Beijos,

Luisa

30 mar 2017
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Looks, Look Dia, Moda

Jeri

Quem me acompanha no insta (segue lá @luisa.accorsi) já sabe que estou em Jericoacora com a Mariana Sampaio – estamos com um novo projeto incrível chamado Lá vão elas (insta: @lavaoelas), vamos viajar o Brasil e o mundo e mostrar tudo para vocês! O primeiro destino não poderia ser mais paradisíaco. né?! Estou amando Jeri, as paisagens são maravilhosos e o clima é muito gostoso… Os vestidos de tricô não saem das minhas malas de praia, e esse é um dos meus queridinhos da coleção de verão. Fica LINDO no corpo e o modelo é super único. Gostaram? Dá para comprar aqui!

06 fev 2017
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!

1 2 3 18