Slider

Notice: Undefined property: stdClass::$items in /var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php on line 20

Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php on line 20

Filmes, Cultura

Dica de Seriado do Netflix: Alias Grace

A primeira coisa que me atraiu à minissérie Alias Grace, que estreiou no final do ano passado no Netflix, foi que ela foi baseada no livro homônimo de Margaret Atwood – a mesma que escreveu “O Conto da Aia”, que por sua vez virou a série bombada “The Handmaid’s Tale”, que eu sou viciada! Outra curiosidade: Atwood baseou-se em um caso real que aconteceu em 1843 e chocou o Canadá na época.

Grace Marks é uma jovem imigrante irlandesa que chega ao Canadá em meados dos anos 1800, condenada pelo assassinato de seu patrão, o fazendeiro Thomas Kinnear (Paul Gross) e sua governanta Nancy Montgomery (Anna Paquin). Depois do acontecimento, Grace, com apenas 16 anos, se torna uma sensação – alguns a vêem como uma pecadora e assassina, outros como uma garota misteriosa que desperta curiosidade (principalmente dos homens), em grande parte por ser jovem, ter “boas maneiras” e ser bonita. Alguns de seus protetores contratam um psiquiatra americano com métodos modernos para a época, Simon Jordan (Edward Holcroft), para avaliá-la e (talvez) comprovar sua inocência.

O seu suposto cúmplice, James McDermott (Kerr Logan) acusa Grace de o ter manipulado e osquestrado todo o crime. A protagonista é ou não inocente? Com o recurso de flashbacks, ela conta ao médico sua história, suas perdas, a infância pobre, sobre seu pai abusivo e alcoólatra… tudo sob a perspectiva dela, o que nos faz perguntar se ela está mentindo ou não.

Mas tem muito mais na minissérie do que a questão da inocência. Como em “The Handmaid’s Tale”, “Alias Grace” toca em questões atuais e relevantes relacionadas ao patriarcado e como ele coloca mulheres contra mulheres, homens em posição de absoluto poder e destrincha a personalidade de quem está sob os holofotes. Tudo isso com uma produção impecável, fotografia belíssima, diálogo inteligente e atuações incríveis – a atriz que faz Grace é maravilhosa e imagino que não seja um papel nada fácil! Só não vá esperando aquele ritmo frenético, a narrativa é lenta e você pode não ter todas as respostas que procura… a série te faz refletir!

 

Me contem o que acharam!

Beijos,

Luisa

17 maio 2018
Comente
Compartilhe

Comentários

    ZILANDRA disse:

    nao tenho acompanhado nenhuma serie ultimamente, mais gosto de saber das novidades
    beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *