Slider

Saúde, Bem Estar

Dicas para combater o cansaço no meio do dia!

Sempre fui de acordar cedo, animada e de bom humor (sim, sou daquelas pessoas que irritam de tão felizes de manhã! Haha) – tanto que meu horário preferido para fazer exercícios é pela manhã. Mas lá por umas 15h ou 16h, em pleno horário de trabalho e quando eu mais preciso de energia, me dá um desânimo e muito cansaço. É o chamado “mid-day slump”, em inglês, e acontece com muita gente! Ao invés de tomar uma coca zero (#vício #seiqueéerrado) estou testando outras alternativas mais saudáveis que estão super me ajudando. Vou compartilhar com vocês:

Tomar um suplemento vitamínico na hora do almoço: Não sou médica e por isso não quero e nem posso indicar nada para vocês, mas o cansaço pode estar relacionado à várias coisas que acontecem no nosso corpo, inclusive a carência de certas vitaminas. Existem suplementos multivitamínicos próprios para mulheres que ajudam muito! Mantenha sempre seus exames de sangue em dia, consulte um médico e fale sobre o seu cansaço.

Alimentar-se de forma equilibrada: Jura, Luisa? Sei que é clichê, mas acho que é sempre bom repetir que comer com equilíbrio é a melhor dieta que existe! Sempre fui de comer certinho e desde que me mudei para São Paulo a correria da minha vida se multiplicou por 10. Às vezes percebo no meio da tarde que não almocei, e isso é péssimo! É sempre bom se policiar e não esquecer de levar lanchinhos saudáveis na bolsa.

Sempre tenha água na sua mesa: Sabiam que a desidratação é uma causa muito comum de fadiga e dores de cabeça? Confesso que às vezes esqueço de tomar água, e desde que comecei a trabalhar sempre com uma jarra do meu lado me senti muito melhor.

Substitua a coca zero ou o café pelo chá verde: Às vezes precisamos de um “boost”, né? Esses dias eu estava lendo que a cafeína do chá verde é uma alternativa muito melhor àquela do café (ou coca zero, minha opção nada saudável! Haha) porque ela tem um aminoácido calmante chamado teanina, que estimula o relaxamento em momentos de stress mas sem causar sono. Ou seja, você vai acordar E relaxar ao mesmo tempo!

Durma de sete horas e meia a nove horas por noite: Dormir muito é tão ruim quanto dormir pouco. Às vezes, o cansaço acumulado pode nos fazer dormir em excesso, sim! Por isso, eu falo de novo: é sempre bom ir ao médico, descobrir a causa e tratá-la.

Beijos,

Luisa

15 mar 2019
Comente
Compartilhe

Looks, Moda

Inspiração: Tendência Western

Oi, gente! Lembro muito que quando eu tinha uns 14 anos meu sonho era ter uma bota cowboy – sim, estava na moda – e realizei meu sonho quando fui morar nos Estados Unidos! Se eu tivesse guardado (calço 34 até hoje haha) acho que estaria usando! Como a moda vem e vai, né?

Uma tendência que está rolando forte nas semanas de moda desde o ano passado e promete bombar no inverno brasileiro é a western, estilo cowboy. Mas não daquele jeito super óbvio e literal, claro! É um western chique – o legal é combinar as botas, por exemplo, com alfaiataria ou peças com tecidos mais finos leves e usar e abusar do couro, que já é a cara da estação!

O que vocês acham? Usariam?

Beijos,

Luisa

22 fev 2019
Comente
Compartilhe

Viagens, Lifestyle

Dicas de Restaurantes em Hong Kong

No começo desse ano, fiz uma viagem incrível com meu namorado e amigos e conheci uma das cidades que estavam na minha “bucket list”: Hong Kong! Ilha que fica no sudoeste da China, Hong Kong é tipo uma Nova Iorque asiática – cosmopolita, cheia de arranhas-céus, ultra moderna e cheia de restaurantes incríveis, para todos os gostos. Sempre que vou viajar gosto de comer comidas típicas, mas mesmo quem não gosta da comida tradicional chinesa não vai ter problema nenhum por lá!

Summer Palace

O Summer Palace foi um dos meus restaurantes preferidos de lá e fica no maravilhoso Island Shangri-La, o hotel que eu me hospedei! Com uma estrela Michelin, ele serve o melhor da culinária cantonesa com um toque sofisticado. A especialidade de lá é o dim sum, um estilo de comida típica da região preparada em porções individuais e servidas em pequenas cestas de bambu ou em pratos pequenos. A ideia é pedir vários pratos (que parecem entradas!) para compartilhar com a mesa – o legal é que dá para experimentar várias coisas, né? Ah, aprendi que a tradição é acompanhar a refeição com chá!

China Tang

Eu já tinha ido no China Tang antes, em Londres (ele nasceu lá!) e amado. Agora, o restaurante abriu filiais em Mônaco (também já fui e amei) e Hong Kong. Primeiro que a decoração é maravilhosa, bem no clima oriental e de muito bom gosto, e a comida (chinesa) também é incrível! Ele segue aquele esquema de vários pratos pequenos para compartilhar com a mesa e o menú é bem extenso, dá para se perder nas opções.

Carbone

Não falei que tinham restaurantes para todos os gostos lá? O Carbone é um restaurante italiano (com uma pitada americana) super bem sucedido e conhecido de Nova Iorque e tem em Hong Kong também – não sei se tem em mais algum lugar, alguém sabe? O melhor: o menú reúne todos os clássicos italianos, pizzas deliciosas e frutos do mar muito bons também. Recomendo pedir o clássico da casa: spicy rigatoni vodka – é maravilhoso e faz jus à fama!

Otto e Mezzo Bombana

Para quem está a fim de um italiano mais refinado, este é o lugar! O 8 1/2 Bombana é o único restaurante italiano fora da Itália (tem filiais dele em Macau e em Shanghai também) que recebeu 3 estrelas do guia Michelin. O chef, Umberto Bombana, é conhecido como “o rei das trufas brancas”, ou seja, não precisa nem dizer que a especialidade do restaurante são as iguarias! Sou suspeita já que eu amo trufas, mas todos os pratos são realmente maravilhosos.

Inakaya

Sou apaixonada por comida japonesa e estava louca para ir no Inakaya, considerado um dos melhores de Hong Kong (existe um em Nova York também). Juro que foi um dos melhores sashimis que eu comi na vida – o de atum e de vieiras, da foto, são de outro mundo – e, para quem não é muito fã, eles servem excelentes pratos quentes também. O wagyu beef, carne típica japonesa, é maravilhoso! Ah, o restaurante fica no 101o andar de um edifício e tem uma vista de toda a cidade.

Gostaram das dicas?

Beijos,

Luisa

15 fev 2019
Comente
Compartilhe

Filmes, Cultura

Dicas de Documentários no Netflix

Volta e meia faço um post aqui no blog com dicas de documentários do Netflix – eu sempre amei o gênero, e o serviço de streaming vive lançando vários de ótima qualidade! Esses foram os que eu assisti mais recentemente (alguns estreiaram no final do ano passado, outros neste ano) e super recomendo:

Audrie & Daisy

 

“Audrie & Daisy” foi lançado no festival de Sundance no ano passado e o tema não é nada leve: o documentário narra a história de 2 casos de estupro sofridos por Audrie Pott e Daisy Coleman – Audrie tinha 15 anos, e Daisy, 14. Elas moravam em diferentes regiões dos Estados Unidos, mas o que aconteceu depois do crime foi praticamente igual: injustiças e as vítimas e suas famílias foram sujeitadas à abusos e bullying nas redes sociais. Senti um sentimento de impotência e indignação diante de tanto horror e injustiça, mas acredito que é um documentário muito necessário!

Fyre Festival: Fiasco no Caribe

 

Esse documentário está dando o que falar e, assistindo, me pareceu um filme de ficção de tão inimaginável que a situação foi – mas não, é real gente! O Fyre Festival foi concebido por Billy McFarland, um empresário de Nova York, e o rapper Ja Rule, e seria um megaevento luxuoso em uma ilha particular do Caribe. O vídeo promocional estrelava nada menos que Bella Hadid, Alessandra Ambrósio e outras principais modelos do momento, o festival teria artistas consagrados, comida e instalações incríveis. Mas a realidade não foi bem assim! Muito interessante para vermos como um bom marketing nas redes sociais consegue manipular e causar danos à muita gente…

Conversando com um serial killer: Ted Bundy

 

Sou viciada por séries/minisséries sobre serial killers e me interessei bastante sobre essa série documental, composta por 4 episódios, sobre um dos mais temidos assassinos de todos os tempos: Ted Bundy foi acusado por mais de 30 crimes – todas as suas vítimas eram mulheres – ao longo dos anos 70. Ele era inteligente, muito carismático e por isso mesmo dá mais medo que o normal! O documentário mostra entrevistas do próprio assassino com o jornalista Stephen Michaud, nunca antes exibidas e é bem interessante e, sim – assustadora!

Beijos,

Luisa

06 fev 2019
Comente
Compartilhe