Slider

Livros, Cultura

Dica de leitura: O sal da vida, de Françoise Héritier

o-sal-da-vida

Explorar uma cidade desconhecida, sentir frio na barriga, nadar à noite, risadas descontroladas, papos furados por horas ao telefone, experimentar sapatos,  correr debaixo de uma chuva quente, dormir até o sono acabar, empanturrar-se de morangos, caminhar de mãos dadas, relembrar recordações já enterradas (Meu Deus! É verdade!), pedir um prato às cegas em outro país, viver uma aventura… São essas pequenas epifanias, essas sensações, o que dá propósito à vida. “O mundo existe por meio dos nossos sentidos, antes de existir de maneira ordenada no nosso pensamento, e temos de fazer de tudo para conservar, ao longo da vida, essa faculdade criadora dos sentidos: ver, ouvir, observar, entender, tocar, admirar, acariciar, sentir, cheiras, saborear, ter “gosto” por tudo, por todos, pelos próximo, enfim, pela VIDA“.

o-sal-da-vida-2

Aos 80 anos, a renomada antropóloga francesa Françoise Héritier recebe um cartão postal de um velho amigo e, a partir dai, começa uma reflexão sobre a felicidade. Ela chega a conclusão de que o trabalho e nossas obrigações diárias nos roubam da própria vida, e que o que é importante, aquilo que dá sentido à vida, o “sal da vida”, são momentos, pequenas coisas que nos fazem felizes: “Existe, sim, uma forma de leveza e de graça no simples fato de existir, que vai além das ocupações profissionais, além dos sentimentos poderosos, além dos engajamentos políticos e de todos os gêneros, e foi unicamente sobre isso que eu quis falar. Sobre esse pequeno plus que nos é dado a todos: o sal da vida”.

o-sal-da-vida-3

O livro não é uma história com começo meio e fim, mas sim um fluxo de consciência, com frases soltas e sem obedecer qualquer lógica, uma lista de tudo aquilo que, segundo a autora, adiciona um pouco de graça à vida. Eu amei a leitura, me deu uma sensação muito boa e uma vontade de prestar mais atenção nas pequenas alegrias do dia-a-dia, e até a ser muito mais grata a minha vida. Acho que, às vezes, na correria do dia-a-dia, esquecemos de valorizar certos momentos bons, acabamos nos concentrando só nos ruins, sabe? Enfim, esse pequeno livro é uma ode à vida e ao simples fato de existirmos, um convite para percebermos o quanto somos abençoados. Vale a pena ler!

Beijos,

Luisa

05 ago 2014
Comente
Compartilhe

Livros, Cultura

Dica de Livro: O Tribunal das Almas

Oi, gente! Estou tendo um problema com livros ultimamente – ou melhor, com um gênero de livro – não sei se é uma fase, mas não tenho conseguido ler livros de histórias românticas, ou aqueles muito femininos, sabe?! Comecei a ler “Livre”, de Cheryl Strayed, e empaquei totalmente… não consigo terminar. Enfim, a dica que eu vou dar hoje é de um suspense que eu li faz um tempinho já, mas tinha esquecido de postar aqui!

IMG_9475

“O Tribunal das Almas”, do escritor italiano Donato Carrisi, é um thriller repleto de reviravoltas, intenso; com personagens complexos e cheios de segredos. O livro interliga Marcus – um homem que desconhece a própria identidade mas com o dom de detectar mínimos detalhes em cenas de crime e casos sem solução – e Sandra Vega, especialista em fotografia criminal que lida com o trauma da morte de seu marido em circunstâncias suspeitas. Suas histórias se cruzam enquanto Marcus investiga o desaparecimento da jovem Lara e Sandra, o falecimento de seu marido. É bem difícil “resumir” a história porque ela é cheia de detalhes e informações – a narrativa é muito bem construída e exige muita atenção do leitor para juntar as peças do quebra-cabeça, só lendo para saber! “O Tribunal das Almas” explora a linha tênue entre o bem e o mal e a perversidade de uma mente assassina – um livro que me prendeu até o fim! Super recomendo!

IMG_9476

Estou louca para ler thriller anterior do mesmo autor, “O Aliciador”, já que pelo jeito estou em uma fase de suspenses!

Beijos,

Luisa

20 mar 2014
Comente
Compartilhe

Livros, Cultura

Dica de Leitura: Travessuras da Menina Má

Oi! Muita gente tem pedido dicas de leitura – hoje vou falar sobre um livro (Travessuras da Menina Má, do super escritor peruano Mario Vargas Llosa) que eu li faz muuito tempo, quando eu era adolescente, e resolvi reler quando estava na Trancoso! Eu adorei fazer isso porque tive uma perspectiva totalmente diferente, sabem? Eu já amava o livro e amei mais ainda!

Esse é um dos livros mais envolventes que eu já li! A história se inicia no Peru e é contada pela perspectiva de Ricardo, que nutre uma paixão por Lily, uma menina que mora no mesmo bairro que ele – esperta e ambiciosa, mais tarde se tornaria a “Menina Má”. Ricardito então cresce e realiza seu grande sonho de se mudar para Paris, onde acaba reencontrando seu amor da adolescência. Esse é o primeiro encontro de muitos, todos em diferentes partes do mundo e com Lily sempre mudando de nome e de marido com a mesma facilidade que troca de roupa: a “Menina Má” é narcisista, aventureira, intensa, fria e sedutora e sua personalidade se contrasta com a de Ricardo, que tem um fascínio e amor quase doentio por ela. O livro também acompanha transformações históricas dos anos 50 até os dias atuais: os locais dos encontros deles sempre refletem a sociedade da época, seja nas revoluções dos anos 60, a cultura hippie dos anos 70, na transição política espanhola dos anos 80… como a contracapa do livro diz, são verdadeiros encontros e desencontros que mostram que o amor é bem como a Menina Má: tem mil faces. É uma narrativa que retrata seus personagens de uma maneira muito sincera, com todas suas loucuras, defeitos e fraquezas.

Um livro incrível em todos os sentidos e que te prende até o fim, imperdível!

Beijos,

Luisa

21 jan 2014
Comente
Compartilhe

Livros, Cultura

Dica de leitura: a Lista do Nunca

Oi, gente! Eu li um ótimo livro de suspense durante as férias de Julho (adoro livros desse gênero) – “A Lista do Nunca”, estreia da escritora norte-americana Koethi Zan. O livro acabou de ser lançado em português e resolvi fazer a resenha para vocês!

Hey! I just finished a very terrifying book last week – “The Never List”, debut of the american writer Koethi Zan. I love thrillers and I was very curious about this book after I read great reviews about it, and I wasn’t disappointed at all!

O livro é realmente bem assustador – sabem aquela história horrível daquelas meninas que foram sequestradas e mantidas em cativeiro por anos em Ohio, nos Estados Unidos? O livro se parece muito com esse caso real. O suspense conta a história de duas amigas, Sarah e Jennifer, que sofreram um grave acidente de carro quando eram pequenas. Depois desse acontecimento, essas meninas passaram anos escrevendo a lista do nunca: regras para se manterem sãs e salvas, sem correrem qualquer risco. Em uma noite a vida das duas muda quando entram em um táxi e acabam sendo sequestradas e mantidas por três anos em um porão com mais duas garotas. Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah está vivendo em Nova York e, completamente traumatizada e quase sem sair de seu apartamento, ainda tenta superar o que passou. Porém, quando seu sequestrador – que ainda manda cartas assustadoras para ela – está prestes a conseguir uma condicional da prisão, Sarah decide que esse é um momento de superar suas fobias e ir atrás de justiça.

É uma leitura bem forte, mesmo… é horrível imaginar que coisas tão chocantes e desumanas acontecem na vida real, como foi o caso de Ohio e tantos outros. Para quem se interessa por esse gênero de livro, vai gostar – é aquele tipo que não dá pra largar mesmo, sabe? Para vocês terem uma noção, eu estava lendo o livro na beira da piscina e ele caiu na água – sim, consegui essa proeza! – e eu mergulhei igual uma louca atrás do livro e continuei lendo ele todo molhado mesmo! Hahahaha!

This book tells the story of two best friends, Jessica and Sarah, who suffer a car accident when they were kids. After that, they spent years writing the “never list”, a list of actions to be avoided – for safety’s sake – at all costs. But one night, after they accept a cab ride, their lifes change forever: for the next three years, they are held captive with two other girls in a dungeon-like cellar. Ten years after she menaged to scape, Sarah is still struggling to live a normal life in New York, almost never leaving her apartment. Now, her abductor is up for parole and Sarah can no longer ignore the twisted letters he sends from jail. She then decides to confront her phobias and seek justice. 

The story is very similar to what happened in Ohio. The book is very disturbing – it’s terrible to think that such horrible things can actually happen in real life. For who enjoys this genre like me, it’s a very fast read and it’s impossible not to care about the characters, specially Sarah. 

Beijos,

Luisa

02 out 2013
Comente
Compartilhe