( ! ) Deprecated: Methods with the same name as their class will not be constructors in a future version of PHP; sl_disclosure_widget has a deprecated constructor in /var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/plugins/skimlinks/widget.php on line 3
Call Stack
#TimeMemoryFunctionLocation
10.0001393960{main}( ).../index.php:0
20.0002395992require( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-blog-header.php' ).../index.php:17
30.0003411448require_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-load.php' ).../wp-blog-header.php:13
40.0004424328require_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/wp-config.php' ).../wp-load.php:42
50.0009541920require_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-settings.php' ).../wp-config.php:53
60.185234126816include_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/plugins/skimlinks/plugin.php' ).../wp-settings.php:362
roteiro de viagem Archives - Luisa AccorsiLuisa Accorsi
Slider

( ! ) Notice: Undefined property: stdClass::$items in /var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php on line 20
Call Stack
#TimeMemoryFunctionLocation
10.0001393960{main}( ).../index.php:0
20.0002395992require( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-blog-header.php' ).../index.php:17
30.509561755168require_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-includes/template-loader.php' ).../wp-blog-header.php:19
40.513761945072include( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/index.php' ).../template-loader.php:78
50.766865793704get_template_part( ).../index.php:3
60.766865794168locate_template( ).../general-template.php:168
70.766865794264load_template( ).../template.php:671
80.767065814488require( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/loop.php' ).../template.php:724
90.767165818984include_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php' ).../loop.php:1

( ! ) Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php on line 20
Call Stack
#TimeMemoryFunctionLocation
10.0001393960{main}( ).../index.php:0
20.0002395992require( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-blog-header.php' ).../index.php:17
30.509561755168require_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-includes/template-loader.php' ).../wp-blog-header.php:19
40.513761945072include( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/index.php' ).../template-loader.php:78
50.766865793704get_template_part( ).../index.php:3
60.766865794168locate_template( ).../general-template.php:168
70.766865794264load_template( ).../template.php:671
80.767065814488require( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/loop.php' ).../template.php:724
90.767165818984include_once( '/var/www/luisaaccorsi.com.br/htdocs/wp-content/themes/accorsi/pos-post-core.php' ).../loop.php:1

Viagens, Lifestyle

Roteiro de Viagem: 4 dias em Mônaco!

Tive a sorte de visitar Mônaco este ano não uma, mas duas vezes, e me apaixonei por este mini país – que, na verdade, é uma cidade-estado – localizado em um lugar mais do que privilegiado: no sul da França, às beiras do mar mediterrâneo. O principado é muito conhecido pela famosa Família Real, por seu circuito de Fórmula 1 e pelos Cassino, mas apesar do território muito pequeno (Mônaco é apenas um pouco maior do que a cidade do Vaticano e menor do que o Central Park, em Nova York), tem muita coisa para conhecer por lá!

Capital: Monte Carlo (Mônaco é considerado uma Cidade-Estado, então Monte Carlo seria na verdade um bairro dentro do território).

Moeda: Euro

Língua: Predominantemente francês

Como chegar: Não existem vôos direto do Brasil para Mônaco, mas quase todas as capitais europeias tem conexões para Nice, na França, que fica do lado de Monte Carlo. De Nice, dá para pegar um táxi, agendar um transfer com o hotel ou pegar um trem até Mônaco. Ah, tem a opção de ir de helicóptero também… muito luxo, gente! Mônaco é uma excelente extensão de qualquer viagem da Europa – se você está indo para a Itália, Suíça, França, Portugal etc, dá para ficar algumas noites no principado também.

Onde ficar: O que não falta em Mônaco são hotéis incríveis! Tive a oportunidade de me hospedar no Hotel Metropole Monte-Carlo, Hotel Hermitage Monte-Carlo e no Hotel Fairmont Monte-Carlo e todos foram maravilhosos! O Hotel Metropole Monte-Carlo não faz parte de uma rede, então é bem exclusivo e mais íntimo, sabem? Tudo é muito chique – a área da piscina foi imaginada por ninguém menos que Karl Largerfeld. O Hotel Hermitage Monte-Carlo é um dos mais tradicionais de Mônaco, com estilo mais clássico. Os quartos são lindos, super claros (amo quartos de hotel assim!) e alguns tem uma varanda com uma vista de tirar o fôlego de toda a riviera. Se você procura um lugar mais jovem e badalado, o Hotel Fairmont Monte-Carlo é o lugar – lá tem o restaurante Nobu e o beach club Nikki Beach, que bombam no verão!

Dia 01

Monte-Carlo Beach Club: Foi um dos lugares que eu mais amei em Mônaco! O Beach Club fica no hotel Monte Carlo Beach e você tem acesso livre caso esteja hospedado em um dos hotéis do grupo (Hôtel de Paris ou Hôtel Hermitage Monte-Carlo). O lugar é maravilhoso, parece que você é transportado para outra década, sabem? A piscina é icônica, com aqueles trampolins tipo anos 50, e o lugar também dispõe de uma praia privada – quase não tem areia, mas vale muito a pena entrar, a água é transparente e cor esmeralda!

Elsa: No próprio hotel Monte Carlo Beach tem o Elsa, primeiro restaurante 100% orgânico a receber uma estrela no guia Michelin. A comida é deliciosa (e saudável!) e o ambiente é super cool, com uma vista linda para o mar. Para quem não quer gastar muito, dá para comer pizzas e saladas no Los Cabanas, que fica no próprio Beach Club, ou no Le Deck, especializado em grelhados.

Casino de Monte-Carlo: Não dá para ir à Mônaco sem visitar o cassino mais famoso do mundo, inaugurado em 1863. Ah, e você pode só visitar sem jogar, que foi o que eu fiz! A arquitetura por si só é de cair o queixo e não deixem de conhecer a Ópera e tomar um drink na Salle Blanche, um bar/lounge dentro do cassino que tem vista para o mar.

Dia 02

Musée Océanographique: Poucos sabem que o Príncipe Albert I era oceanógrafo e cientista e construiu este aquário em 1910, combinando arte e ciência. Como tudo em Mônaco, o lugar é muito bem cuidado e tem uma vista maravilhosa para o mar da parte superior. O museu abriga diversas espécies de animais marinhos e é um ótimo programa para quem estiver com crianças!

Nikki Beach Monte Carlo: Vamos badalar um pouco depois do programa cultural, né? O Nikki Beach de Monte Carlo fica no rooftop do Hotel Fairmont Monte-Carlo, tem uma vista de tirar o fôlego e é super bombado! Ideal para fazer um “almo-rave”, sabem?

Sass Café: Um dos restaurantes mais agitados e concorridos de Monte Carlo. A comida é mediterrânea (tem para todos os gostos!) e deliciosa. Ah, o lugar vira baladinha depois da meia noite!

Dia 03

Parc du Cap Martin/Èze: Uma das coisas mais legais de ficar em Mônaco é que o principado é uma base perfeita para qualquer viagem! Dá para fazer vários bate-volta, já que de lá é possível visitar a França e a Itália no mesmo dia, por exemplo, e ter a experiência de se hospedar em Mônaco, que é um lugar único. Nice fica super perto e outras cidadezinhas bem legais também! O Parc du Cap Martin é um parque que fica em Cap Martin, na França, que antes pertencia ao território de Mônaco. Dá para reservar uma manhã para conhecer o lugar, que é lindo! Èze fica do outro lado, também na França, e é uma cidadezinha medieval super charmosa que vale a visita.

Le Vistamar: Esse restaurante, que tem uma estrela Michelin, fica no hotel Hermitage e sim, mais uma vez, a vista é maravilhosa! Amei a comida porque é super saudável e leve (os peixes são imperdíveis!) e uma delícia. No verão, o terraço fica aberto e o visual é muito lindo!

Compras: Olhar as vitrines das lojas luxuosas na Avenue de Monte-Carlo já é fazer turismo em Mônaco! Aproveite para fazer um people-watching – juro que nunca vi pessoas tão bem vestidas na vida como nas ruas de lá.

Blue Gin e Blue Bay: Antes do jantar, aproveite para tomar um (ou uns!) drink no Blue Gin, que fica no Hotel Monte Carlo Bay – o ambiente é bem gostoso e bomba no verão! O restaurante Blue Bay (que fica no mesmo hotel) também é estrelado e o chef, Marcel Ravin, criou um menu que mistura a comida mediterrânea com a caribenha. Muito interessante e maravilhoso!

Dia 04

The Princess Grace Irish Library: A biblioteca, fundada em 1984, presta homenagem à Grace Kelly, um verdadeiro símbolo de Mônaco. A atriz e princesa colecionou livros de origem irlandesa (tem alguns super raros, de edições especiais) por conta das raízes de sua família – além dos livros, o lugar, super íntimo, expõe também alguns objetos que eram dela.

La Piazza: Não poderia deixar de indicar um restaurante italiano aqui, né? O La Piazza é uma ótima opção para quem ama frutos do mar e uma boa massa.

Cidade Velha: Mônaco tem um centro histórico, que é o lugar mais turístico do principado. O lugar é muito charmoso, tem uns predinhos antigos e eu fiquei chocada como tudo é muito limpo e bem cuidado, apesar do grande número de turistas! Não deixem de visitar o Palácio dos Príncipes de Mônaco (os Grandes Aposentos estão abertos para visita no período do verão) e a incrível Catedral de Mônaco, construída em estilo bizantino. O casamento histórico de Grace Kelly e Príncipe Rainier foi lá!

Le Grill Monte Carlo: Esse restaurante é imperdível. Fica no topo do Hôtel de Paris (ou seja – de novo, a vista é maravilhosa!) e os pratos são focados na culinária mediterrânea, com ambiente super clean e cool. Não deixem de comer os famosos soufflés de sobremesa – todos são maravilhosos!

Gostaram das dicas? Mônaco é um dos lugares mais incríveis que eu já fui – tudo é tão lindo que às vezes eu nem acreditava que estava lá, sabem? Me senti uma princesa!

Beijos,

Luisa

19 dez 2018
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Viagens, Lifestyle

Dica de hotel em Udaipur, Índia: The Leela Palace

Udaipur, nosso próximo destino na Índia (fizemos um tour ou sim?) fica no sul do estado do Rajastão e é o centro administrativo da região. É também conhecida como a “cidade dos lagos” e eu recomendo demais a visita para quem for para o país – foi a minha cidade preferida da Índia, me surpreendeu muito! Jaipur é super romântica e tem uma atmosfera incrível – não sei explicar porquê, mas me senti em Game of Thrones, haha!

Me hospedei no hotel Leela Palace Udaipur, que faz parte da rede Preferred Hotels & Resorts (vale a pena dar uma olhada no site!) e gente, não estou exagerando – pensem em um lugar maravilhoso e multipliquem por 5! Primeiro que a localização é perfeita, às margens do lago Pachola (você chega no hotel de barco, super legal!), a decoração é maravilhosa, mas uma coisa me chamou ainda mais a atenção: o serviço! Acho que foi uma das vezes que eu fui mais bem tratada na vida… me senti uma rainha, haha!

Plena na piscina do incrível Leela Palace Udaipur

O nosso quarto era um sonho: enorme, tinha até closet e uma sala de tv, mas o Leela Palace também tem quartos menores disponíveis! O melhor de tudo era a vista para o lago Pachola…

Mais um room with a view <3

Eu amo essa vibe indiana maximalista, colorida, e o hotel tinha tudo isso na decoração mas com um super bom gosto! O lugar era tão lindo que vi vários casamentos acontecerem enquanto eu estava por lá (fica a dica para quem quiser um destination wedding bem exótico!) – a área da piscina era toda em preto e branco com mix de desenhos e o nosso quarto tinha cada detalhe muito bem pensado… amei as almofadas, os quadros e os tapetes!

Me apaixonei pela decoração do meu quarto!

O hotel também oferece serviço de spa e programações como passeio de barco pelo lago Pachola (eu fiz e amei!) e city tour. Também tivemos um jantar inesquecível no restaurante do hotel, o Sheesh Mahal, que oferece um menù com comidas indianas e também opções ocidentais. Me rendi e comi um macarrão (estava morrendo de vontade, me julguem!) e estava maravilhoso – foi um dos jantares mais especiais da minha vida, dêem só uma olhada nessa vista

Vista mágica no jantar no Sheesh Mahal

De babar, né? Quem tiver uma viagem programada à Índia, não deixem de ir para Udaipur!

Beijos,

Luisa

Fotos: Mana Gollo

27 jun 2018
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!

Viagens, Lifestyle

Dicas de Jaipur, a “cidade rosa” da Índia!

Capital do Rajastão, uma das regiões mais turísticas da Índia, Jaipur é conhecida como “cidade dos marajás” e “cidade rosa” – na verdade, é um tom de rosa salmão muito lindo! Em 1876, o seu marajá mandou pintar seus palácios dessa cor para a visita do Príncipe Albert da Inglaterra, e os edifícios da cidade velha são conservados assim desde então.

Em Jaipur, ficamos hospedados no incrível Raj Palace, que faz parte da rede dos Small Luxury Hotels. É um hotel boutique que foi restaurado e originalmente foi o palácio de um marajá, então imaginem, né? O hotel tem spa, piscina, um jardim maravilhoso e até museu! Adorei tudo e super recomendo para quem for visitar a cidade 🙂

No Raj Palace, o hotel (e antigo palácio!) que ficamos em Jaipur

Um programa que tem que fazer é visitar o Forte/Palácio Amber, que fica na cidade de Amber, antiga capital do Rajastão. Fiquei impressionada com a arquitetura do lugar, com uma mistura de elementos islâmicos e hindus e detalhes de cair o queixo mesmo! O lugar é bem grande e como fica há alguns quilômetros e Jaipur, recomendo pelo menos perder a manhã ou tarde inteira por lá.

Forte Amber

O Palácio da Cidade também é parada obrigatória, um verdadeiro complexo construído no século XIX e o principal edifício de Jaipur. Também gostei muito de conhecer o templo hindu Birla Mandir, todo feito de mármore branco! Achei muito interessante que na fachada do templo tem figuras que representam outras religiões (Jesus Cristo, por exemplo). É muito bonito! Não deixem também de passear pela cidade velha e conhecer as Portas Muralhadas, Jantar Mahal (observatório astronômico construído no século XVIII) e o Hawa Mahal (“palácio dos ventos”), um dos prédios mais lindos da cidade, na minha opinião!

Em frente ao Palácio dos Ventos, um dos prédios mais lindos de Jaipur

Jaipur também tem ótimas opções para quem quer comer bem! O Suvarna Mahal é o restaurante mais famoso da cidade e um dos mais chiques que eu já fui (os copos eram de ouro!!!) e oferece pratos de diferentes regiões da Índia. Também recomendo o 51 Shades of Pink (que ganha pelo ambiente, o lugar é inteiro rosa!); House of People (tipo um lounge com música ao vivo) e o Bar Palladio, que tem uma decoração linda e serve comida italiana.

No 51 Shades of Pink, restaurante todo rosa!

Ah, e para quem é apaixonada por pôr do sol como eu, tem que ir até o Nahargarh Fort em Jaipur! Experiência inesquecível…

Dicas extras: Como eu falei nos outros posts, nosso roteiro da Índia foi inteiro personalizado pela Nomad Roots, que organizou todos os nossos passeios, um almoço em uma família indiana na cidade (um dos melhores momentos da viagem!) e contratou nosso guia Virendra Singh, um amor de pessoa! Para quem for para Jaipur e quiser uma experiência diferente, dá para se hospedar na casa da família dele – da próxima vez quero fazer isso!

Beijos,

Luisa

Fotos: Mana Gollo

22 jun 2018
Comente
Compartilhe

Me siga no Instagram: @luisa.accorsi

Viagens, Lifestyle

Tudo sobre minha visita ao Taj Mahal!

Um dos sonhos da minha vida era conhecer o Taj Mahal, e eu realizei 🙂 Depois de Nova Delhi, eu e a Mana seguimos para Agra, a cidade onde fica o mausoléu, de trem – sim, vale muito a pena se locomover de trem pela Índia, que tem um sistema ferroviário enorme! A viagem durou 1 hora e meia e fomos na classe executiva (custou cerca de 25 dólares) e foi super confortável – lembrando que tem vários tipos de trens, várias classes e o preço varia também. Achei um site que explica bem certinho como viajar de trem pela Índia e lembrando que toda a nossa viagem pelo país foi organizada pela Nomad Roots, agência incrível de viagens que personalizou todo o nosso roteiro! Expliquei mais sobre ela nesse post aqui.

Recomendo muito visitar o Taj Mahal no nascer do sol!

Para quem não sabe, o Taj Mahal não é um palácio e sim um monumento fúnebre – um túmulo (super básico) que o imperador Shah Jahan construiu, no Século 17, para uma de suas esposas, Mumtaz Mahal, após ela ter morrido durante o parto de seu 14º filho. Não dá para explicar a emoção de ver o Taj pela primeira vez! O lugar é impressionante, todo em mármore e pedras preciosas, construído para ser milimetricamente simétrico. A única disposição assimétrica fica do lado de dentro: o túmulo de Mumtaz e o do imperador.

O Taj Mahal é um complexo com jardins e também tem outros edifícios secundários que valem a visita

Também recomendo reservar um tempo para conhecer também o Forte de Agra (também chamado de Forte Vermelho) que serviu de prisão para o imperador Shah – sim, o mesmo que construiu o Taj Mahal! Ele foi aprisionado pelo próprio filho e passou 8 anos ali, olhando de longe o mausoléu que mandou erguer para sua esposa preferida… história trágica, né?

O Forte de Agra é uma das construções mais importantes da Índia!

Em Agra, nós ficamos hospedadas no Hotel DoubleTree by Hilton, que eu achei ótimo – a cidade em si não é muito interessante fora os dois monumentos, então recomendo dormir só uma noite (como nós fizemos)!

Sonho realizado <3

Beijos,

Luisa

Fotos por: Mana Gollo

04 jun 2018
Comente
Compartilhe

Me acompanhe no YouTube!